terça-feira, 27 de junho de 2017

As setas e bolinhas do Apito Abençoado


Já são tantos os emails revelados e as personagens envolvidas na novela Apito Abençoado, que começa a ser necessário fazer um ponto de ordem para que nada nem ninguém seja esquecido.

Esta interessante infografia do Jornal de Notícias é um bom começo, mas na verdade não está aqui tudo o que foi apanhado. Em breve apresentarei uma mais completa.

Podem fazer clique na imagem se a quiserem ampliar.


segunda-feira, 26 de junho de 2017

Apito Abençoado: a história de Emídio Fidalgo

De entre os casos de ofertas de bilhetes reveladas pelo Expresso na edição de sábado passado, não há nenhuma que salte tanto à vista como a que diz respeito a Emídio Fidalgo, antigo responsável pela nomeação dos delegados da Liga - cargo que acumulou com outro que ainda desempenha: o de responsável da Liga pelas infraestruturas.

Falamos de um funcionário da Liga que, obviamente, tem o dever de cumprir as suas funções de forma isenta e equidistante em relação a todos os clubes. No entanto, fica claro, no artigo do Expresso, que o Benfica não tem essa perceção em relação ao seu trabalho. No artigo do Expresso pode ler-se que Paulo Gonçalves, assessor jurídico do Benfica e homem forte do trabalho de bastidores, incluiu Emídio Fidalgo num conjunto de quatro pessoas que tinham "de alguma maneira ajudado (...) o SLB no passado".

Como é natural, se um funcionário da Liga cumpre o seu dever não está a ajudar ninguém. Consequentemente, se Emídio Fidalgo ajudou de alguma forma o Benfica, então não estava a cumprir o seu dever. Algo de que, aliás, também pode ser acusado outro dos nomes referidos: Nuno Cabral. Os emails divulgados nas últimas semanas demonstraram que o delegado da Liga tinha, como objetivo de vida, ser o menino bonito do Benfica.

Aqui fica o excerto do artigo do Expresso sobre Emídio Fidalgo:


Como se pode ler, o Benfica estava a decidir sobre os convites que iriam ser oferecidos para assistir a uma final da Liga Europa. Falamos, portanto, de bilhetes (cujo preço de venda ao público variava entre os 35€ e os 150€), mas não é impossível que o convite incluísse também a viagem até Turim e, quem sabe, alojamento. Mas mesmo que tenham oferecido apenas os bilhetes, não nos vamos iludir: o preço facial dos ingressos não faz justiça ao valor simbólico que têm para o recetor da oferta, principalmente se for um fervoroso adepto do clube.

Portanto, temos uma oferta de valor relevante, que foi atribuída por ajudas dadas ao longo da época que na altura decorria. No caso de Emídio Fidalgo, que ajuda terá sido? O Expresso refere uma possibilidade bastante plausível: o papel que Emídio Fidalgo teve alguns meses antes, no conturbado final do V. Guimarães - Benfica. O caso foi muito discutido na altura por causa das omissões dos delegados da Liga em relação aos problemas que Jorge Jesus teve com a polícia. Omissão incompreensível, se considerarmos que os delegados viram tudo e que Emídio Fidalgo, o responsável pelos delegados, esteve no centro dos acontecimentos.



A 26 de setembro, a própria Liga acabou por abrir um processo aos delegados e aos árbitros por não terem feito qualquer referência ao sucedido. Naturalmente, multiplicaram-se as perguntas em relação à atitude dos delegados e do seu chefe.


Jorge Maia concluiu o seu comentário referindo a estranheza das omissões. Quase quatro anos depois, com a divulgação destes emails, as coisas começam finalmente a ficar menos estranhas...

P.S.: como foi referido, a omissão nos relatórios não abrangeu apenas os delegados ao jogo. Também os árbitros se "esqueceram" de referir os incidentes. Curiosamente, o árbitro dessa partida foi Bruno Esteves, um dos bons valores da arbitragem referidos por Adão Mendes a Pedro Guerra num dos emails revelados por Francisco J. Marques, enviado... apenas três meses após os incidentes de Guimarães.


domingo, 25 de junho de 2017

Quando somos os nossos piores inimigos

Ponto prévio: Não meto as mãos no fogo por ninguém quando o assunto é dinheiro, mas não acredito que Bruno de Carvalho se tenha apropriado indevidamente de qualquer verba indevida. A razão por que tenho esta opinião é mais racional do que emotiva, não sendo mero wishful thinking. Assenta numa premissa muito simples: o presidente do Sporting é responsável por um nível de transparência nas contas inédito no futebol português. Nenhum clube em Portugal (e provavelmente no mundo) fornece regularmente e sem falhas um quadro tão detalhado das suas contratações, incluindo o valor e destinatários das comissões. Não precisava de o fazer, nem poderia ser criticado por isso: se as contas do Porto entram num detalhe relativo, as do Benfica são um autêntico buraco negro. O ato de publicar este nível de pormenor não é apenas simbólico, tem implicações práticas: facilita imensamente o escrutínio. Se eu tivesse intenção de enriquecer à custa de comissões, não desataria a dar o detalhe total dessas comissões. Se sabemos que Bruno César custou 1,3M em comissões a Costa Aguiar, isso deve-se, única e exclusivamente, ao facto de o presidente Bruno de Carvalho ter decidido que era esse o nível de transparência que queria para a SAD do Sporting.

Este ponto prévio vem a propósito das revelações feitas por Bruno de Carvalho na AG de ontem. Aqui fica, para quem não viu:


Se é verdade que a peça da TVI surge por ação destes sócios, parece-me gravíssimo.

Bruno de Carvalho não está nem tem que estar livre do escrutínio dos sportinguistas, mas quem está minimamente atento sabe que boatos destes existem há anos, muitos deles alimentados pelo grupo de pessoas do costume, sem que nada, alguma vez, tivesse sido minimamente comprovado. Pior, há pelo menos uma das acusações feitas no tal documento Word - a de que Bruno de Carvalho ficou com plenos poderes para contratar - já foi clarificada no passado: as assinaturas de Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho eram suficientes, num período de 9 dias em pleno defeso, pois Carlos Vieira encontrava-se de férias.

Numa altura em que o Benfica se encontra sob suspeita de atos gravíssimos, é evidente que há determinados órgãos de comunicação social sedentos por desviar as atenções. Não é por acaso que este tema tenha surgido n' A Bola e TVI. São sportinguistas a fazer o jogo do rival. Infelizmente, já se tornou há muito um triste hábito.

sábado, 24 de junho de 2017

Outros casos do Sporting - Benfica em hóquei de que não se falou

Na passada terça-feira, Gilberto Borges e Paulo Freitas estiveram na Sporting TV a comentar as incidências do Sporting - Benfica. Durante o programa, foram revistos vários lances que, no entender do Sporting, foram mal ajuízados a favor do Benfica.

Aqui fica um resumo daquilo que foi dito. Como se poderá concluir dos vários lances discutidos, a posição que o Benfica tomou em boicotar a final four da Taça de Portugal é de uma enorme hipocrisia. Mesmo que tivessem razão naquele último lance (e que nenhuma imagem televisiva demonstra com um mínimo de clareza, quer para um lado, quer para o outro), foram demasiados os erros que favorecerem o então campeão nacional, e que contribuiram decisivamente para que o jogo (que o Sporting controlava) fosse discutido até ao fim. Para não falar, obviamente, naquilo que se foi passando noutros jogos ao longo da época.


Já agora, aqui fica o lance do Juv. Viana - Benfica a que Gilberto Borges se referiu:



Promessas eleitorais que se aplaudem

Fico muito contente quando vejo membros ilustres da sociedade civil a entrarem na política para colocar os seus talentos ao serviço da população.


Apito Abençoado: passámos de tráfico de influências para corrupção

O Expresso revela hoje novos dados a partir de emails do Benfica que, até agora, ainda não eram conhecidos. Aparentemente, o Benfica ofereceu bilhetes a cinco elementos do Conselho de Disciplina, a Nuno Cabral, a dois árbitros assistentes e a Emídio Fidalgo, "responsável pela nomeação dos delegados na Liga e decisivo nos pareceres que emitiu."


Se no caso de Nuno Cabral, já se conheciam indícios fortes de tráfico de influências - um delegado da Liga que, para concretizar o desejo de ser o "menino bonito" do Benfica, usou o seu cargo de forma indevida em benefício do Benfica -, mas agora, com a oferta de bilhetes, começamos a entrar no domínio da corrupção.

Curiosamente, dois dos cinco dos bilhetes dados a Nuno Cabral destinavam-se a árbitros assistentes. Fico com uma dúvida: Nuno Cabral acompanhava os árbitros assistentes na qualidade de amigo, ou na qualidade de menino bonito do Benfica?

No caso de Emídio Fidalgo, o uso de aspas é também elucidativo: foi decisivo em pareceres que, pode assumir-se, agradaram ao Benfica. Também se pode concluir que a oferta dos bilhetes foi consequência desses pareceres. Isto também pode indiciar corrupção.

Já li o artigo que o Expresso fez. Está dividido em duas partes. Na primeira parte, dividem-se e organizam-se os emails em três ocasiões em que foram oferecidos bilhetes: para o Benfica - Juventus, para o Benfica - Nacional, e para o Benfica - Sevilha. Na segunda, estão as perguntas que o Expresso colocou a vários dos intervenientes sobre as três histórias que estão descritas na primeira parte: Paulo Gonçalves, Luís Filipe Vieira, Ferreira Nunes, Emídio Fidalgo, Nuno Cabral e Andreia Couto. Aqueles que responderam (como Paulo Gonçalves e Vieira), defenderam-se na normalidade da prática destas ofertas. Mas não se iludam: a primeira parte do artigo do Expresso mostra claramente as motivações do Benfica em algumas das ofertas que fez. As citações dos emails são elucidativas. Muito elucidativas.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Sobre a falta de comparência do Benfica na Taça de Portugal em hóquei

Têm toda a razão em se sentirem indignados. Foi um fartar vilanagem a época inteira, começando por aquele lance contra o Sporting, na 1ª volta, em que o Nicolia foi barbaramente atacado.



Notícia CM



Correio da Manhã, dia 21 de junho de 2017: Fábio Coentrão passou nos exames médicos! 


Correio da Manhã, dia 22 de junho: Fábio Coentrão não passou nos exames médicos!



Prevejo em breve uma nova notícia, mais ou menos nestes termos: conforme o CM noticiou, concretizou-se/falhou (riscar o que não interessa) a contratação de Fábio Coentrão pelo Sporting. Assim não é difícil...

(obrigado, Eduardo!)

quinta-feira, 22 de junho de 2017

SMS & Fruta






Em exibição num cinema perto de si

Considerando a ausência de reações dos responsáveis benfiquistas, considerando a entrevista à RTP que Vieira cancelou - supostamente problemas de agenda - quando o Apito Abençoado rebentou (e ainda não teve disponibilidade para falar entretanto), considerando tudo aquilo que não tem sido dito e explicado por uma máquina de propaganda tão rápida e barulhenta quando o assunto lhe interessa...

... até parece que está em exibição um spinoff de um dos filmes mais célebres das últimas décadas.

(obrigado, @MindoSCP)